Competitividade: o que aconteceu no Brasil?(Autor:Luiz C. Di Serio)

Resgatando o nosso artigo de 15/01/17 e 23/01/17, analisamos os fatores que impactam a competitividade.

Na tabela abaixo, podemos avaliar de forma global a evolução do Brasil e de outros países.

wef_ranking-paises

Até 2008, USA era o no.1 no WEF, mas a partir da crise financeira a sua posição mudou para 6 e de lá até 2017 já recuperou 3 posições.

A Colômbia melhorou 3 posições, o Chile está estável, o Peru perdeu 2 e a Suíça tem ocupada a posição 1 desde 2008.

Observamos economias estáveis, como: USA, Singapura, Alemanha (perdeu uma), Japão (perdeu duas) e Holanda (melhorou uma).

Alguns países apresentaram melhorias, como: Holanda, Reino Unido,

Uma conclusão que podemos tirar até aqui, se refere o quanto difícil é para uma economia evoluir e dar saltos significativos de competitividade e consequentemente ter desenvolvimento social e geração de riqueza para as pessoas.

Se observarmos o Brasil, temos uma situação muito diferente dos demais.

De 2008 a 2012, tivemos melhoria significativa de 7 posições, mas de 2014 a 2017 o país perdeu 24 posições. Isto nos mostra, o longo caminho para recuperação econômica visto que e muito difícil melhorar poucas posições e muito mais dar saltos significativos.

Se olharmos as medidas econômicas tomadas em meados de 2011, foram semelhantes às adotadas após a crise financeira de 2008-2009.

O ministério da fazenda promoveu desoneração tributária e atribuiu aos bancos públicos a responsabilidade de promover financiamento ao consumo e aumentou os gastos governamentais.

O diagnóstico inicial, foi ligar com à crise externa, mas o que observamos a partir de 2014, foi que as intervenções macroeconômicas trouxeram desemprego (perda de poder de compra) e excesso de oferta (capacidade ociosa das empresas). Houve um desequilíbrio no desempenho de diversos setores empresariais. Esta relação aprece justificada as possíveis causas, nos nossos dois artigos anteriores.

Estes dados ajudam ainda as instituições a planejar suas políticas macro e microeconômicas, assim como avaliar o impacto das instituições na competitividade e prosperidade do país e das pessoas.

Houve então, incentivo ao consumo, aumento de gastos públicos, mas não houve esforço para melhoria de produtividade.

A capacidade ociosa das empresas trouxe ainda grande prejuízo para as empresas.

Estes dados também ajudam as empresas a tomar decisões de onde fazer investimentos em novas empresas, expansões de capacidade e investimentos em capacitação de pessoas.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Competitividade: o que aconteceu no Brasil?(Autor:Luiz C. Di Serio)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s